MICROALGAS

O que são?

As microalgas são organismos unicelulares fotossintéticos que podem ser encontrados em oceanos, água salobra, água doce, rochas e solos. Estes microorganismos apresentam um tamanho microscópico e utilizam a luz, o dióxido de carbono atmosférico e nutrientes inorgânicos para produzir oxigénio e biomassa rica em diversos compostos bioativos de interesse para a saúde.

A sua diversidade genética é muito ampla e confere características únicas, sendo que poderão ser agrupadas em dois grupos taxonómicos distintos, as eucariontes (como por exemplos as clorófitas) e as procariontes (as cianobactérias). Entre as suas características nutricionais únicas, à que destacar a sua biomassa por ser uma fonte rica de proteínas, vitaminas, minerais, ácidos gordos essenciais (ómega 3 e 6), clorofilas e carotenoides com grande bioatividade.

Por outro lado, nos últimos anos estes microorganismos têm sido utilizados para a produção de cosméticos naturais com características únicas e investigados como biofábricas de novos compostos com grande aplicabilidade na indústria farmacêutica.

Origem

As algas são reportadas como os primeiros organismos que surgiram na Terra, há cerca de 3500 milhões de anos, estimando-se que existam entre 40 mil e 10 milhões de espécies, na sua grande maioria microalgas. Em termos históricos as microalgas remontam à população asteca, que colheu a espécie Arthrospira do lago Texcoco para fins alimentares. Também, a Arthrospira platensis foi consumida como suplemento alimentar denominado “dihe” na população circundante do Lago Chade, sendo à data um dos grandes alimentos desta população. Por outro lado, as espécies do género Nostoc têm sido utilizadas pelos chineses como iguaria alimentar devido às suas propriedades nutracêuticos e bioativas há centenas de anos. Mais recentemente, as espécies do género Chlorella e Odontella iniciaram o seu cultivo e processamento nos anos de 1975 e 1994, sendo comercializadas como superalimento entre os anos de 2002 e 2003.

Curiosidades

As microalgas constituem a base da cadeia alimentar

Desempenham um papel importante ao longo da cadeia alimentar, pois são produtoras primárias que servem de alimento base a diversos organismos aquáticos.

As microalgas são as maiores produtoras de oxigénio

As microalgas são organismos que realizam a fotossíntese, produzindo cerca de 50% do oxigénio presente no planeta, e ao qual é indispensável à nossa sobrevivência.

As microalgas apresentam um elevado valor nutritivo

As microalgas são ricas em um conjunto de biomoléculas de elevado interesse a nível nutricional e com grande capacidade bioativa.

As microalgas são fixadoras de CO2 atmosférico

Estes microorganismos têm a capacidade fixar até xxx de dióxido de carbónico atmosférico, contribuindo desta forma para a redução dos gases de efeito de estufa.

Compostos Bioativos das Microalgas

Benefícios

Atividade antiviral e anti-fúngica

As microalgas (ex: Chlorella vulgaris) são capazes de produzir uma vasta gama de compostos orgânicos que têm sido usados na síntese de diversos antibióticos.

Desenvolvimento cerebral

São constituídas por ácidos gordos polinsaturados, nomeadamente o DHA que é fundamental para a manutenção e desenvolvimento das funções cerebrais.

Estimulação das respostas imunológicas

As vitaminas B9 (ácido fólico) e B12 e minerais (ex: ferro) contribuem para o fortalecimento do sistema imunitário.

Proteção do coração

São uma ótima fonte de ácidos gordos ómega-3, que contribuem para a prevenção e tratamento de doenças cardiovasculares.

Diabetes e hipertensão

O consumo regular de microalgas contribui para o controlo dos níveis de açúcar no sangue e para a regulação da pressão sanguínea.

Potencial antioxidante

Os antioxidantes encontrados nas microalgas protegem as células dos radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento da pele e pelo aparecimento de determinadas doenças (cancro).

Renovação celular

Apresentam na sua constituição a vitamina B6 e B12, que são fundamentais na renovação das células e tecidos do organismo humano.

Anti-tumorais e anti-inflamatórios

O β-caroteno, a astaxantina, a fucoxantina e a ficocianina apresentam comprovados efeitos anti-tumorais e anti-inflamatórios.

Saúde capilar e da pele

São ricas em vitaminas B2, B3 e B7 (biotina) e luteína, responsáveis pela manutenção da saúde do cabelo e da pele.

Visão saudável

A luteína é um antioxidante não sintetizado no corpo humano e que é essencial pela sua função protetora da visão.

Produto natural

Isenção de metais pesados, pesticidas e outros contaminantes.

Pegada ecológica reduzida

Responsáveis pela remoção do dióxido de carbono atmosférico.

Remoção de impurezas e metais pesados

Eficazes na eliminação de impurezas e metais pesados do organismo, que se acumulam em determinados órgãos (ex: fígado e rins).

Colestrol

Os carotenóides e os fitoesteróis presentes nas microalgas contribuem para a redução dos níveis de colesterol encontrados no plasma sanguíneo.

Produto vegan

A biomassa das microalgas Chlorella e Spirulina são excelentes fontes proteicas (50-60%), sendo alternativa a fontes animais. Também fornecem compostos antioxidantes, vitaminas e minerais essenciais para o organismo humano.

Aplicações

Suplementos alimentares

Indústria farmacêutica

Indústria cosmética

Aquacultura

Agricultura

> Biopesticidas
> Biofertilizantes

Bioenergia

> Biogás
> Biohidrogénio
> Bioetanol
> Biodiesel

Indústria de produtos naturais

> Corantes
> Pigmentos
> Antioxidantes
> Ácidos gordos

Biorremediação

Tratamento de efuentes

Captura de CO2 industrial

As Nossas Microalgas

Chlorella vulgaris

A Chlorella vulgaris é uma microalga eucariótica verde cujas células são esféricas ou elipsoides com um diâmetro entre os 2 e os 10 µm. Em termos nutricionais é rica em proteínas (50-60%), fibras, vitaminas, minerais, antioxidantes, ácidos gordos ómega-3 e aminoácidos essenciais. Os seus benefícios para a saúde humana variam desde o fortalecimento do sistema imunitário, a redução dos níveis de colesterol e de açúcar no sangue, a capacidade de prevenção de inflamações e a manutenção da massa muscular pelo seu elevado teor proteico.

Arthrospira platensis

A Arthrospira platensis é uma cianobactéria procariota filamentosa de cor verde-azulada que tem como característica crescer em meios aquáticos com uma elevada concentração de bicarbonato, em condições alcalinas (pH 9-10), apresentando uma considerável tolerância salina. Atualmente, é o organismo fotossintético mais cultivado no mundo e é habitualmente comercializada com o nome de “Spirulina”. Esta é uma ótima fonte de proteínas, ácidos gordos polinsaturados, aminoácidos essenciais, vitaminas e clorofilas.

Haematococcus pluvialis

A Haematococcus pluvialis é uma microalga verde unicelular de água doce que, habitualmente, em condições de stress, défice de nutrientes ou altas intensidades luminosas produz em grandes quantidades uma molécula com forte poder antioxidante, a astaxantina, que apresenta uma colocaração vermelha intensa. O interesse desta microalga deve-se essencialmente a esta moléculas, pois apresenta múltiplos benefícios para a saúde humana, tais como a prevenção e tratamento da diabetes, a prevenção de doenças cardiovasculares, a redução do risco da doença de Alzheimer devido às propriedades anti-inflamatórias, o aumento da fertilidade, e por fim um potencial gastroprotetor contra a bactéria Helicobacter pylori, que está associada ao cancro do estômago.

Dunaliella salina

A Dunaliella salina é uma microalga halófila unicelular que apresenta uma coloração verde e que pode ser encontrada em ambientes de elevadas salinidades, com grandes concentrações de cloreto de sódio. A sua capacidade de sobreviver nestes ambientes deve-se à produção e acumulação de glicerol como forma equilibrar a pressão osmótica no interior da célula. Neste tipo de ambientes a Dunaliella salina encontra-se também exposta a uma intensa radiação solar que estimula a produção da molécula β-caroteno como forma de proteção. Esta molécula apresenta um elevado poder antioxidante, o que lhe permite ter uma vasta aplicação, nomeadamente em cosméticos e suplementos alimentares.